NewsLetter:
 
Pesquisa:

Resultado do Troféu Bigorna 2008
Por Marcio Baraldi
10/10/2008

Clique para ampliar

Conforme anunciado em agosto (veja aqui) o site Bigorna resolveu criar o Troféu Bigorna para contemplar todo ano alguns profissionais da HQB, em diversas categorias, cujo trabalho ou carreira tenha tido destaque ou simplesmente pela competência e inegáveis bons serviços prestados para os Quadrinhos brasileiros. Convém lembrar que o site Bigorna sempre se diferenciou de outros sites do gênero por privilegiar acima de tudo o QUADRINHO NACIONAL! Os colaboradores do Bigorna são todos quadrinhistas profissionais ou editores que, por estarem a vida inteira mergulhados ate o pescoço nesse mercado, o conhecem como a palma da mão. Conhecem a situação, o trabalho e a trajetória de cada quadrinhista deste país, desde um humilde fanzineiro até o maior dos veteranos da HQB. Valorizam o sangue e o suor alheios porque também o derramam a vida inteira em prol do sonho de ter uma indústria de Quadrinhos sólida no Brasil. Acreditamos que os leitores reconhecem que Bigorna é de longe, o site que mais dá espaço e apoio para os autores NACIONAIS. São notícias diárias, resenhas, artigos e entrevistas com quadrinhistas de todos os gêneros (humor, super-heróis, experimentais, etc), independente de seu tempo de estrada ou grau de fama e reconhecimento. Bigorna sempre foi e sempre será extremamente DEMOCRÁTICO! E sempre levantará a bandeira do QUADRINHO NACIONAL. Somos nacionalistas mesmo e com muito orgulho!

Pois foi pautado por esse espírito democrático, que se tornou marca registrada do site, que criamos o Troféu Bigorna, que pretende ser um prêmio diferente. Por exemplo:
1 - O Troféu Bigorna não premiará 20 anos seguidos o mesmo chargista ou cartunista, como se não existissem outros no mercado;
2 - Não terá panelas de amiguinhos nem de espécie alguma;
3 - Não deixará de premiar autores ou personalidades importantes da HQB por conta de desafetos pessoais;
4 - Não ignorará a trajetória de autores importantes que muitas vezes possuem décadas de estrada sem terem ganho sequer um único prêmio na vida;
5 - Não se concentrará no eixo Rio-São Paulo, ignorando os autores de outros estados;
6 - NÃO premiará autores estrangeiros porque não somos paga-pau de gringos e estamos aqui para dar valor aos BRASILEIROS, que são nosso verdadeiro público. Duvidamos que Alan Moore ou Neil Gaiman, por exemplo, estejam interessados em receber um prêmio de algum site brasileiro. Aliás, duvidamos até que eles acessem ou saibam da existência de tais sites. Com certeza nem ler português eles sabem.

Enfim, Troféu Bigorna será um prêmio 100% NACIONAL! É um prêmio de brasileiros, por brasileiros e para brasileiros. E visa acima de tudo, reconhecer e estimular os autores brasileiros a produzirem cada vez mais e melhor. Dito isto, é com grande satisfação  que anunciamos os ganhadores desta primeira edição do TROFÉU BIGORNA. Junto a cada ganhador, tivemos o cuidado de colocar um texto justificando tal escolha. Esperamos que a categoria dos quadrinhistas e público em geral entenda o espírito diferenciado do prêmio e considere justos os critérios utilizados para premiar cada um dos escolhidos. Vamos, pois, aos ganhadores:

1 - MELHOR DESENHISTA: SAMICLER GONCALVES
Samicler ralou muito nos últimos anos e se tornou um soberbo desenhista. Criou vários super-heróis próprios, entre eles o Cometa, cujo gibi, colorido e extremamente profissional, lança às próprias custas há vários anos. Mesmo prestando serviços para a DC Comics, por ser de Santa Catarina e estar, como diria Humberto Gessinger, "longe demais das capitais", o nome de Samicler não tem sido tão cultuado quanto o de desenhistas similares de São Paulo, por exemplo. Solidário, Samicler ainda tem a nobreza de homenagear heróis brasileiros da velha guarda como Raio Negro e Escorpião, colocando-os para contracenar com seu herói Cometa. Convém assinalar que o nome de Samicler já estava escolhido antes do súbito problema de saúde que o acometeu há algumas semanas (saiba mais aqui). Mas ficamos muito felizes em saber da recuperação do artista e acreditamos que o prêmio, provavelmente o primeiro de sua carreira, será uma grande alegria que o ajudará a se recuperar ainda mais rápido. Sucesso e saúde pra você, Samicler!

2 - MELHOR ROTEIRISTA: FRANCINILDO SENNA
Escondido na minúscula Pau dos Ferros, no interior do Rio Grande do Norte, o roteirista Francinildo Senna, de origem humilde, tira leite de pedra há décadas. Sem computador, Francinildo cria personagens e escreve zilhões de histórias, acredite se quiser, à mão mesmo! Sem grana nenhuma, tudo na base da paixão extrema pelos Quadrinhos! Dessa paixão nasceram personagens bem bacanas como os super-heróis Crânio e Cachorro de Rua. Francinildo corre atrás de grandes desenhistas para quadrinizarem seus roteiros, entre eles, o talentoso Mark Novoselic, infelizmente falecido recentemente. Além disso ainda edita, lança e vende por conta própria todos os seus gibis. Já são centenas de títulos, que começaram como modestos fanzines xerocados e hoje são revistas bem impressas, com capas coloridas em couchê. Pelo seu talento, perseverança e capacidade de enfrentar as maiores adversidades, Francinildo é um vencedor! E com sobrenome de vencedor! E nada como um bom prêmio para coroar sua vitória. Parabéns, Francinildo!

3 - MELHOR CHARGISTA: CARLOS LATUFF
O carioca Latuff nunca foi nem nunca será badalado ou bajulado pela grande mídia. Muito pelo contrário, Latuff nasceu para estar na imprensa alternativa, humanista e esquerdista onde um chargista corajoso e macho como ele ainda é admitido. Enquanto a maioria dos chargistas da grande imprensa acomodam-se cada vez mais no trono da covardia com a boca escancarada, cheia de dentes,esperando a morte chegar, Latuff desce porrada sem dó nos bastardos que só querem detonar o planeta e a Humanidade. Sem incertezas, indecisões, enfim, sem medo de ser feliz e de ter vergonha na cara. Como o próprio Latuff diz: "não sou o chargista engraçadinho, de piadas moderninhas". Graças a Deus,Latuff! Se fosse, tu não levaria esse prêmio, levaria umas bordoadas bem dadas, isso sim!

4 - MELHOR CARTUNISTA: LUIZ AUGUSTO (FALA MENINO!)
O baiano Luiz Augusto é pouquíssimo lembrado nas discussões pseudo-cabeças realizadas interminavelmente por leitores "descolados" de HQs. Por quê? Porque Luiz faz um dos trabalhos mais lindos, inteligentes e humanos do cartum brasileiro atual. Seu trabalho passa a quilômetros de distância da onda cinza, fatalista e depressiva que dominou boa parte do cartum brasileiro. Não, Luiz NÃO usa seu cartum para dizer que o ser humano, o mundo e a vida são umas porcarias sem sentido. Não, ele NÃO usa seu cartum para falar de drogas ou de sexo de maneira pré-historicamente grosseira. Seus personagens, todos crianças, falam de portadores de necessidades especiais, negritude, amizade, ecologia, vida, tudo com rara sensibilidade e alegria. Entre seus personagens há crianças mudas, cadeirantes, etc, e todos absolutamente alto-astral. Críticos sem serem derrotistas. Enfim, como diria Caetano: "outras palavras!". Merece este e muitos outros prêmios pelo mundo afora pelo maravilhoso exemplo! Visitem o site do autor aqui.

5 - MELHOR SITE DE AUTOR: GRAPHIQBRASIL (MARIO LATINO)
Nicaragüense radicado no Brasil, Mario Latino é o cartunista com a trajetória mais louca deste planeta. Filho de classe média, foi Testemunha de Jeová e pregador religioso radical, mudou da água pro vinho e virou guerrilheiro sandinista, matou muitos inimigos, sobreviveu a muitos tiros, foi preso, foi solto. Mudou de vida e de país. No Brasil foi técnico da seleção de tae-kwo-do, até que um dia o vírus do Quadrinho o pegou e "pimba!" virou um supercartunista, dos mais criativos e engraçados. Pouco reconhecido pelos bundas-moles de plantão, Mario não ganhou um único prêmio até hoje, embora, pela qualidade de seu trabalho, já devesse ter recebido vários. Seu site, atualizado diariamente, tem mais de 1300 tiras hilárias, muito pessoais e inteligentes. Mario, tu és um artista de primeira grandeza do cartum latino-americano. Este prêmio vem para lhe fazer a justiça devida! Acesse o site aqui.

6 - MELHOR JORNALISTA ESPECIALIZADO: GONÇALO JÚNIOR
Gonçalo é de longe o mais prolífico escritor de livros sobre HQs do Brasil! São mais de dez livros nos últimos anos, entre eles bíblias seminais e insuperáveis como A Guerra dos Gibis, O Homem Abril, Benício e Tentaçao à Italiana. Ninguém o supera em matéria de pesquisar incansavelmente e em aprofundar-se no assunto escolhido. Seus livros são todos catataus de centenas de páginas, onde descarrega toneladas de informação até esgotar o tema. Quem se atreve a enfrentar Gonçalo no ringue das letras e livros? Ninguém é doido! Pelo menos não TÃO doido quanto Gonçalo! Mesmo com tanta contribuição às HQs, Gonçalo recebeu raríssimos prêmios. Dar-lhe um Troféu Bigorna é OBRIGATÓRIO!

7 - MELHOR EDITORA: DESIDERATA
A carioca Desiderata chegou com gás total no mercado. Tendo à frente a lenda-viva Jaguar, a editora investiu bonito no Quadrinho nacional e lançou vários autores como Allan Sieber, André Dahmer, Nani, o próprio Jaguar e outros. Fez tão bonito que já foi comprada pela Ediouro, que percebeu seu potencial. Valeu, Jaguar. Longa vida à Desiderata!

8 - MELHOR EDITORA INDEPENDENTE: JÚPITER II (JOSÉ SALLES)
José Salles é véio de guerra no underground cultural brasileiro. Escritor, cronista, dramaturgo e cineasta, Salles já fez de tudo na área cultural. Mas foi como roteirista e editor de Quadrinhos que se consolidou definitivamente. Enquanto muitos só reclamam, Salles arregaçou as mangas e fundou sua própria editora , a Júpiter II (ex-SM editora), com a qual vem publicando Quadrinhos nacionais incessantemente. Já publicou dezenas de títulos e de autores, que vão do clássico Gedeone Malagola (RIP) ao vanguardista Edgard Franco. Muitos autores, de norte a sul do Brasil, estrearam no mercado graças à editora de Salles, que custeia do próprio bolso ABSOLUTAMENTE TODAS suas publicações. Enfim, um Don Quixote moderno contra os dragões da mediocridade! Que este prêmio Bigorna compense, ao menos minimamente, seu heróico esforço.

9 - MELHOR FANZINE/REVISTA INDEPENDENTE: CAFÉ ESPACIAL (SÉRGIO CHAVES)
Sérginho, o pequeno notável, com seu tamanho econômico surpreende pela grandeza de sua empreitada. Há anos fazendo fanzines por pura paixão, sem lucrar um tostão, Sérgio burilou seu trabalho de editor até chegar  a um nível profissional competentíssimo. De todas suas edições, Café Espacial foi a que se destacou mais rápido, pela qualidade de seus colaboradores. Começa pelas capas, sempre impecáveis, passando pelas ótimas histórias e desenhos. Tudo impecavelmente regido pelo maestro Sérgio, claro. Este prêmio vem com o ensejo de adoçar ainda mais esse saboroso café que o Maitre Sérgio vem nos servindo com toda competência e talento. Bom apetite a todos!

10 - MELHOR ÁLBUM/LIVRO DE HUMOR: MACAMBIRA E SUA GENTE (HENRIQUE MAGALHÃES)
Já dizia Caetano: "Alguma coisa está fora da ordem mundial!". Só mesmo isso para explicar como um autor tão importante para a HQB, com três décadas de estrada, não havia ganho NENHUM prêmio como cartunista até hoje. Já faturou um único como editor, pelo seu informativo TOP-TOP, mas como cartunista, infelizmente sua vasta carreira foi solenemente ignorada pelo sul-maravilha. Por quê? Por que ele mora na distante Paraíba? Porque seus Quadrinhos falam de homossexualidade? Por que não puxa o saco de ninguém? Qual a resposta para tamanho disparate? Seja qual for, o jejum do artista acabou. Receba este Troféu Bigorna como se fossem trinta, Henricão. Um para cada ano de sua genial e corajosa carreira! E Deus abençoe a Paraíba e suas praias e povo maravilhoso, ô xente!

11 - MELHOR LIVRO SOBRE QUADRINHOS: A ERA DE BRONZE DOS SUPER-HERÓIS (ROBERTO GUEDES)
O que está havendo com os críticos e "senhores da razão" do Quadrinho brasileiro?!? O paulista Roberto Guedes, fanzineiro desde a infância, roteirista de Quadrinhos e um dos maiores experts em Super-Heróis do planeta, lança livros seminais, pioneiríssimos, fundamentais, e é ignorado solenemente pelos que se dizem autoridades em HQs. Foi assim quando lançou A Saga dos Super-heróis Brasileiros, o PRIMEIRO E ÚNICO livro sobre o assunto no planeta Terra (só se tiver outro em outra galáxia). Depois o inexplicável fenômeno se repetiu ao lançar este A Era do Bronze dos Super-Heróis. De novo o PRIMEIRO E ÚNICO livro exclusivamente sobre o assunto no mundo. Onde estão as "otoridades" que não enxergam isso? Que perdem uma oportunidade dessa de colocar o Brasil à frente dos demais países. Guedes é um Aírton Senna do jornalismo-HQ, está sempre saindo na frente de todo mundo. E para que, se seus próprios pares e conterrâneos não o reconhecem? Esse pecado está parcialmente perdoado com esse prêmio Bigorna!

12 - MELHOR LIVRO DE AVENTURA/OUTROS: 35 ANOS DE VELTA (EMIR RIBEIRO)
Este provavelmente é o caso mais gritante desta lista! Se por acaso há alguém aí que não conhece o paraibano Emir Ribeiro e sua loirona Velta, desligue o computador imediatamente e vá para o canto da sala, de castigo! É inadmissível que um autor com 35 anos de estrada, criador da super-heroína mais popular e conhecida do Brasil, autor de dezenas de livros e gibis, de centenas de páginas de HQs, de um longa-metragem, de serviços prestados para as Marvels e DCs da vida, NUNCA tenha ganho um prêmio por sua obra autoral!!! Emir é o típico caso de autor polêmico, cujo trabalho é mal-compreendido por alguns. É como o Flávio Colin, que quando estava vivo ninguém lhe dava um centavo, mas bastou morrer para virar gênio por unanimidade. Oras, vão querer repetir esse papelão com o Mestre Emir?!? Chega dessa vergonha! Emirzão, aceite este prêmio Bigorna. E perdoai nossos pecados!

13 - PRÊMIO CONTRIBUIÇÃO À HQB: Esta categoria premiará sempre três escolhidos e está reservada para personalidades ou projetos que prestam inestimável apoio ao Quadrinho nacional. Eis os três ganhadores deste ano:

1) WORNEY DE SOUZA, PELOS 24 ANOS DE PRÊMIO ANGELO AGOSTINI:
O que seria do Quadrinho nacional sem o bom e velho Worney? Há 24 anos ele ajudou a fundar a AQC-SP (Associacao dos Quadrinhistas e Caricaturistas de SP), onde ao lado de JAL, Gualberto e Maringoni, entre outros, criou o PRIMEIRO prêmio para os profissionais de HQ do Brasil, o TROFÉU ANGELO AGOSTINI. E, desde entao, o carrega literalmente nas costas todos esses anos. SOZINHO, sem ajuda de ninguém! Sensato e auto-crítico, Worney jamais deu um Agostini para si próprio, embora muito o merecesse. Pois chegou o momento de premiar quem premia a todos há duas décadas e meia. Dar um prêmio para Worney é mais ou menos como dar um presente para o Papai Noel. Obrigado pela sua ideologia, coerência e obstinação, Worney. O Quadrinho nacional te deve MUITO! E que Santo Agostini te ilumine sempre!

2) EDITORA OPERA GRAPHICA:
Quem tiver um mínimo de vergonha na cara terá que admitir: nenhuma editora fez TANTO em TÃO POUCO TEMPO pelo Quadrinho nacional como a Opera Graphica! Em poucos anos de vida a Opera lançou dezenas de autores diferentes em álbuns luxuosos para livrarias e gibis populares para bancas de jornal. Investiu em autores consagrados, em novos autores e até nos totalmente desconhecidos. Teve uma nobreza sem tamanho ao trazer de volta para o front a velha guarda do Quadrinho nacional que estava esquecida. Mestres maravilhosos como Gedeone Malagola, Rodolfo Zalla, Eugênio Colonnese, Watson Portela, Julio Shimamoto, Flavio Colin, etc, tiveram suas carreiras ressuscitadas através de álbuns gloriosos pela Opera Graphica. Num único ano a Opera lançava dezenas de titulos nacionais... e mesmo assim nunca foi eleita editora do ano, sendo sempre preterida por outros nomes. O motivo? Carlos Mann! O dono da Opera Graphica, cujo temperamento explosivo angariou desafetos aqui e ali. Mas ninguém pode negar que o polêmico Carlos, foi, depois de Adolfo Aizen, o editor de HQs mais apaixonado que o Brasil já teve. E o maior incentivador da produção nacional também. Esse prêmio vem para fechar com chave de ouro a curta mas brilhante trajetória da Opera, já que Carlos resolveu fechar suas portas ao término deste ano. Desiludido com o mercado, Carlos agora se dedicará somente a produção de revistas comerciais e não mais aos Quadrinhos. É como um cometa que se vai, mas cujo rastro marcou para sempre os céus do Quadrinho Nacional! Recebam este Prêmio Bigorna com carinho e gratidão, Carlos, Franco e toda a maravilhosa equipe da Opera Graphica!

3) PROGRAMA HQ ALÉM DOS BALÕES:
Bigorna foi o primeiro a reconhecer a importância inestimável dos programas de TV sobre Quadrinhos que surgiram nos últimos anos. Bigorna foi o primeiro site a fazer uma parceria permanente com o HQ Além dos Balões,o irmão mais velho destes programas, já com três anos de vida. Bigorna foi o primeiro a entrevistar os três programas, concedendo-lhes espaço nobre no site e noticiando semanalmente todas suas programações. E agora, naturalmente, Bigorna é o primeiro a premiar estes programas, começando pelo HQ Além dos Balões, nas pessoas de Fábio Salles e Flavião, donos da TV Tatuapé e criadores do programa. Enquanto outros só enrolam, Bigorna faz!

14 – PRÊMIO “UMA VIDA DEDICADA AOS QUADRINHOS": Esta categoria premiará sempre três veteranos das HQs cuja vida toda foi dedicada à Nona Arte. Eis os três primeiros Mestres contemplados:

1) EUGÊNIO COLONNESE:
Colonnese ainda estava vivo e longe do hospital quando seu nome foi escolhido. Desejávamos muito entregar-lhe o prêmio pessoalmente. Quando este foi para o hospital mantivemos a esperança de entregar-lhe o prêmio até o ultimo minuto. Porém quis o destino que o Mestre deixasse o corpo físico e portanto só nos resta agora fazer-lhe esta homenagem póstuma, entregando o prêmio para sua família. Que este prêmio traga um alento a mais para a família do Grande Colonnese.

2) GEDEONE MALAGOLA:
Como todos, sabíamos da situação delicada de saúde que Gedeone atravessava nos últimos anos e por isso escolhemos seu nome imediatamente. O que não sabíamos é que o mestre pioraria repentinamente e nos deixaria nas vésperas do prêmio. Mas não faz mal, assim como no caso de Colonnese, o Troféu Bigorna trará algum conforto para a família Malagola.

3) RODOLFO ZALLA:
Este é um dos últimos papas do Quadrinho nacional ainda encarnado. Zalla é um artista fenomenal que dispensa apresentações. Entregar-lhe este prêmio é uma verdadeira HONRA para o Bigorna.

15 - HOMENAGEM ESPECIAL: MARK NOVOSELIC
Esta, como diz o nome, é uma categoria especial para homenagear personalidades em casos extraordinários. Nesta primeira edição do prêmio quem caiu como uma luva foi o carioca Mark Novoselic, artista talentoso, que faleceu precocemente, vítima de infarto aos 32 anos. Ex-parceiro de Francinildo Senna, Novoselic foi desenhista do super-herói Crânio. Tinha um traço muito competente e muitos planos para o futuro. Deixou esposa e dois filhos pequenos. Impossível ler sua entrevista ao Bigorna (veja aqui), concedida poucos dias antes de falecer, e não se emocionar com sua vontade de viver. Este prêmio é o mínimo que podemos fazer para honrar sua memória.Deus o abençoe, Novoselic!

E este é o resultado da primeira edição do Troféu Bigorna. A entrega dos prêmios será numa grande festa dia 29 de novembro, um sábado, das 14h as 19h, no Bar Blackmore: Al.dos Maracatins, 1.317 (atrás do Shopping Ibirapuera), em São Paulo (SP). Na festa também acontecerá o lançamento do livro VALE-TUDO, do Marcio Baraldi (este que vos fala) e terá shows com as conceituadas bandas de hard-rock Exxótica e Baranga, além de refrigerante, vinho, salgadinhos e bombons na faixa. A entrada será franca! Nos vemos todos lá!

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2019 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web