NewsLetter:
 
Pesquisa:

Resenha: Grendel – Preto, Branco & Vermelho
Por Humberto Yashima
25/10/2007

Grendel no traço de Tim Sale


Durante a leitura do álbum Grendel – Preto, Branco & Vermelho (Grendel: Black, White & Red, Devir Livraria), as primeiras HQs de que alguns leitores se lembrarão serão as minisséries Batman: Preto e Branco e as histórias de Frank Miller em Sin City. Da mesma forma que as citadas minisséries do Homem-Morcego, o livro traz histórias curtas, em preto e branco, e ilustradas por vários artistas; os detalhes destacados em apenas uma cor – neste caso, vermelho - também foram utilizadas por Miller em sua maior criação. Mas as semelhanças (propositais ou não, não importando quem fez o quê primeiro) terminam por aí; o criador e roteirista de Grendel, Matt Wagner, escreveu todas as histórias e mostrou fatos do passado do assassino Hunter Rose, o primeiro Grendel (Como assim, o primeiro? Ah, isso já é uma outra história...).

Contando com a colaboração artística de Tim Sale (em Advogado do Diabo), Teddy H. Kristiansen (em A Voz do Diabo), Mike Allred (em O Apogeu do Diabo), David Mack (em Réquiem do Diabo), Troy Nixey (em A Marca do Diabo), Stan Shaw (em A Pontuação do Diabo), Arnold & Jacob Pander (em A Maldição do Diabo), Timothy Bradstreet (em O Ardil do Diabo), Woodrow Phoenix (em A Testemunha do Diabo), Dean Motter (em O Capricho do Diabo), Guy Davis (em O Labirinto do Diabo), Duncan Fegredo (em A Língua do Diabo), D’Israeli (em O Xeque-mate do Diabo), Paul Chadwick (em O Jardim do Diabo), Ho Che Anderson (em A Diva do Diabo), Bernie E. Mireault (em O Taco do Diabo), John Paul Leon (em O Tributo do Diabo), Jay Geldhof (em O Estigma do Diabo), Scott Morse (em A Benção do Diabo), Jason Pearson (em A Jaula do Diabo) e Chris Sprouse (em O Domínio do Diabo), Wagner criou ótimos contos curtos que explicam um pouco da essência do personagem, mostrando fatos de sua adolescência, de sua carreira como escritor, assassino e chefe do crime organizado. Isso tudo sem se prender a uma ordem cronológica.

No meio desta verdadeira exposição de arte em forma de Quadrinhos (tamanha a variedade e qualidade das ilustrações), o maior destaque fica para as histórias desenhadas por Sale, Allred, Mack, Motter, Chadwick, Morse e Sprouse; sem desmerecer o trabalho dos outros artistas, que também é de alto nível. O álbum da Devir teve acabamento de luxo e contém Galeria de capas, biografias de todos os autores e texto de apresentação na 4ª capa do livro. Para quem quer conhecer este fascinante personagem (cuja única HQ publicada no Brasil foi Batman vs. Grendel, que saiu por aqui pela Mythos), Grendel – Preto, Branco & Vermelho é um ótimo começo.

 Veja também:

Resenha: Xingu!

Lançamentos de 10 Pãezinhos: Fanzine e Xingu! no 5º FIQ (MG)

O Sonhador e Supremo - A Era de Prata pela Devir

Preview de Xingu!, de Sérgio Macedo

Resenha: Lost Girls – Livro 2: As Terras do Nunca

Preview de 10 Pãezinhos: Fanzine, de Fábio Moon e Gabriel Bá

Promoção cultural da Devir: Você gosta de mangá?

Lost Girls 2, Grendel e Rex Mundi pela Devir

Lançamento de Pizzaria Brasil na Menor Livraria do Mundo (SP)

Resenha: Luluzinha – O Clube da Lulu

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2020 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web