NewsLetter:
 
Pesquisa:

Entrevista: Linc Nery
Por Eloyr Pacheco
13/03/2009

Estudante de Publicidade e Propaganda, Lincoln Nery, ou Linc Nery, como gosta de ser chamado, é o responsável pelos sites Batman – A Trajetória e Brasil Comics e é criador do Jou Ventania. Recentemente ele lançou a primeira edição estrelada por seu personagem (saiba mais aqui). Nesta entrevista concedida por e-mail Nery, que assume não ler mais Quadrinhos, comenta, entre outros assuntos, sobre suas preferências, sua visão do mercado de HQs Nacionais, e seus projetos.

Para começar, a pergunta de praxe: como surgiu seu interesse por Histórias em Quadrinhos?

Eu sempre gostei de super-heróis. Adorava ver na TV, Superamigos, Homem-Aranha, He-Man, mas não tinha um que se destacasse em minha memória. Se perguntassem, eu diria que era o Super-Homem, por ser o mais forte. Isso mudaria em 1989, quando vi Batman, de Tim Burton. Foi quando comecei a colecionar.

Quais seus personagens favoritos?

Não tem como negar que é Batman, mas gosto de HQs em geral, de Homem-Aranha à Mônica.

Então sua coleção de Quadrinhos tem de tudo?

Já teve. Eu comprava tudo pra ver como é. Fantasma, Jaspion, Chaves, o que eu achava na época, comprava. Mas, hoje só tenho Batman.

E quais seus quadrinhistas preferidos?

Alan Moore (que nunca erra a mão), Frank Miller de décadas atrás, Norm Breyfogle e McFarlane. Antes que falem algo, que culpa tenho? Na minha infância/adolescência eram esses os caras que eu achava na banquinha da esquina. Eu só fui conhecer o trabalho de mestres como o Colin, Emir, Francinildo e cia, quando eu já não lia mais HQs.

O quê?! Você não lê mais Histórias em Quadrinhos? Não entendi...

Não. Já faz um tempo.

Por que você não lê mais Quadrinhos?

Eu comecei a perder o hábito quando a Abril Jovem lançou a Série Premium, o que aumentou muito o preço dos gibis que eu lia. Eu até completei a coleção anos depois, mas aí já tinha perdido o hábito. Porém, hoje me ajuda, pois busco outras fontes para criar uma história.

E você acompanha a produção nacional de Quadrinhos?

Acompanho na medida que posso.

Por que você decidiu estudar Propaganda & Marketing?

Na verdade, faço Publicidade e Propaganda. Marketing é outro curso. Bom, eu queria fazer Cinema ou Jornalismo, mas não existe um mercado brasileiro firme para o primeiro, já o segundo, eu tive algumas experiências, e achei muito limitado. Para mim, a Publicidade engloba os dois e um pouco mais.

Em qual Universidade você estuda e no que você pretende se especializar?

Na UniverCidade. Direção de Arte, Criação ou Redator Publicitário. Depende muito pra onde a vida vai levar.

Na sua incursão pela Internet você desenvolveu os sites Batman – A Trajetória e Brasil Comics. Como surgiu a idéia de criá-los?

Na época não existia um site que falasse de todas as faces de Batman. Tinha um sobre a série, outro sobre o filme, etc., e muitos personagens nem fichas online tinham, eu queria criar um que reunisse tudo, a mesma coisa serve para o Brasil Comics.

Comercialmente falando, como estão os sites que você mantém?

Batman a Trajetória e Brasil Comics são dois “dinossauros”. Na verdade, são dois palhaços que já não interessam mais ao público. Porém, o meu blog e o site do Jou Ventania estão sendo muito visitados.

Como foi que surgiu o personagem Jou Ventania?

Acredito que aos meus seis anos. Sei que foi depois de ver o Batman de Tim Burton. Mas, ele era muito diferente de hoje. Na época era um menino de boné e capa. Coisa de criança mesmo.

E como você vê o Jou Ventania hoje? Fale um pouco sobre o conceito do personagem.

Ele não se sente um herói. Ele não é um herói tentando ser humano. Ele é só um cara cheio de defeitos que vive do seu jeito num mundo cheio de defeitos. Ele sabe que nunca poderá salvar a cidade, ele apenas tenta manter o equilíbrio que rege a sociedade, lixo e luxo, bem e mal, bonito e feio, etc.

Como está sendo a aceitação da Jou Ventania #1?

Demais! Nunca imaginei isso. Já dei até autógrafo aqui no Rio. Nem na época que eu atuava em peças com o BonDefú isso acontecia. Soube hoje que tem até professor elogiando o trabalho em turmas da faculdade.

Legal, hein?! Você fez (ou ainda faz) Teatro?

O grupo acabou e não surgiram mais oportunidades. Além do mais, eu não sou fã da estética do teatro, o que me atrai mesmo é o cinema.

Vi na revista Mundo dos Super-Heróis #14 uma arte do Jou Ventania assinada por Norm Breyfogle. Como foi que ele acabou conhecendo o personagem e o desenhou?

Eu já curtia o trabalho dele, e quando estava montando a Galeria do Jou, onde grandes artistas locais me mandaram artes sensacionais, pensei no quão seria legal um norte-americano participar. Então, um dos amigos que tenho nos EUA, me deu o contato dele. Eu expliquei sobre a Galeria e enviei duas imagens do Jou, ele gostou tanto do personagem que rapidamente me enviou sua versão.

Como está a produção do segundo número da Jou Ventania?

Podemos dizer que está 99,5% finalizada e muito superior à experiência que foi o primeiro número.

Quando você pretende lançar Jou Ventania #2?

Se for pelo sucesso do nº1, posso lançar nesse momento. Mas, existem outros fatores mercadológicos, que estão me fazendo pensar no segundo semestre de 2009.

E o que o levou a publicar recentemente uma HQ de Jou Ventania no Senarte Quadrinhos, do Francinildo Sena? (Saiba mais aqui).

Sou fã do trabalho dele no Crânio. Acho incrível o personagem estar em várias publicações diferentes, e acho gostaria que um dia o Jou chegasse perto disso. Nesse caso, juntou as duas coisas. Mas, todos os sites que tenho publicado webcomics, foram fantásticos comigo. O Gratão, com o grande HQNado; a Michelle, no Zine Brasil; o Daniel, do Projeto Continuum, e no passado o Sauerbronn, no QG do Homem-Escudo, e o Super-HQ, da Editora Vardi. Só não rolou para lançar uma edição impressa com as editoras independentes.

Como você vê o mercado de Quadrinhos no Brasil?

Eu acho que é o momento certo de agir, pois o mercado norte-americano nunca esteve tão ruim e nunca se teve tão bons personagens brasileiros. Agora, a forma de agir, cada um vai ter a sua. Depende de cada grupo de quadrinistas que tem por aí.

Valeu, Linc. Muito obrigado pela entrevista e sucesso aí na sua empreitada!

Eu é que agradeço a oportunidade que você e os outros jornalistas/amantes de HQs deram na divulgação de Jou Ventania #1. E principalmente, ao leitor, que me deu a oportunidade de contar essa história. E com certeza, Jou Ventania #2 está sendo feita para elevar tudo que o antecessor trouxe de bom e melhorar ainda mais. Aguardo todos lá.

O Bigorna.net agradece a Linc Nery pela entrevista realizada por e-mail e finalizada no dia 11 de março de 2009

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2020 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web