NewsLetter:
 
Pesquisa:

Os Dez Melhores Quadrinhos para Arthur Filho
Por Marcio Baraldi
25/08/2010

Barbaridade tchê! Esta semana fomos até o Sul e convocamos o índio velho Arthur Filho pra se abancar no divã e analisar seus dez gibis preferidos, no más! O guapo é desenhista, escritor, roteirista de quadrinhos, editor da Editora Opção 2, professor de Português e Literaturas, instrutor de Karatê-do há 33 anos. Atualmente edita e participa com HQs da revista independente Billy The Kid & Outras Histórias, que já publicou grandes nomes como Shimamoto, Luis Saidenberg, Adauto Silva, Elmano Silva entre outros viventes. O gaudério demonstrou muito bom gosto porém sem frescurada, com uma lista mais ortodoxa que reclame de xarope. Ainda bem, caso contrário teria eu lhe aplicado um bom joelhaço entre as pernas pra deixar de estranhamento. Agora te fresqueiem, se abanquem todos no pelego do divã, dêem um trago no mate e apreciem a lista do gaúcho macanudo Arthur! Trilegal, bah!!!


Os Dez Melhores Quadrinhos de Todos os Tempos
por Arthur Filho

1 - Corto Maltese - Hugo Pratt
O excelente Hugo Pratt traz em Corto Maltese histórias inteligentes, narrativa dinâmica, tudo num desenho único, simples mas expressivo e muito bem feito! O personagem é uma mistura de potencialidades, podendo envolver-se nos mais diversos casos, sendo sempre incomparável nessas tramas. Corto Maltese é Hugo Pratt tipico: realidade e fantasia numa história em quadrinhos luxuosa e inteligente! E refiro-me a todos os álbuns que li, sem destacar nenhum, pois todos me encantaram! E olha que só fui ler Pratt depois de bem maduro! Nunca e tarde para descobrir Hugo Pratt!

2 – Fradim - Henfil
Que leitor não gostava do que o Henfil escrevia ou desenhava? Aquele traço rápido, quase rabiscado, mas cheio de vida, falava por si. Mas o que mais se respeitava nessa revista era o conteúdo social, político, crítico, avacalhador, paranóico e inteligente. Fradim era um demônio, não fazia menos que simplesmente esculhambar de vez, mostrar as feridas, cutucar as feridas, tudo em quadrinhos mal traçados mas vivos. Fiz questão de ter a coleção completa!

3 - Apócripha - Wellington Srbek e Fernando Cipriano
O título deste livro e na verdade "Confissões de um pobre diabo". Anjos e demônios, céu e inferno, gente e divindades, o mal e o bem, a verdade e a mentira, narrativa em reflexões, sonhos ou realidade. Uma historia para se interpretar, viajar e pensar, foi assim que li esse álbum. Uma verdadeira poesia! E o desenho claro-escuro do Cipriano me agradou demais!

4 - Fawcett - André Diniz e Flávio Colin
O explorador inglês Fawcett em busca de seus tesouros. Ficção e realidade misturadas nas matas brasileiras sob a regência gráfica de Colin! Isso tudo torna essa obra mais interessante e viva do que nunca! Esse livro deveria ser obrigatório nas escolas, História deveria se aprender assim.

5 - Nick Raider #01- HQ "Jimmy e Juanita" - Claudio Nizzi e Ivo Milazzo
Confesso que esse não é meu gênero favorito, mas que sorte ter comprado essa revista!!! É que Milazzo nos surpreende com um desenho por demais simples, rabiscado, mas bem vivo e marcante, num estilo genial que fez da história mais do que era pra ser. O excelente artista ilustrou essa história com um talento incomparável! Essa revista guardo na minha estante com todas as homenagens!

6 - Raio Negro - Gedeone Malagola
O meu super-herói preferido! Nem mesmo o Superman ou o Batman poderiam, na época, fazer-me desistir de comprar outra revista que não fosse a do Raio Negro. Nenhuma era melhor na época! E brasileiro ainda por cima!!! Gedeone Malagola marcou a história das HQBs e a minha infância. Passados muitos anos escrevi uma carta para Gedeone, elogiando sua obra e recebi uma resposta desse artista maravilhoso!!! Puxa, parecia que eu voltara no tempo e que me encontrara com o próprio herói. Quantas vezes, por influência de Raio Negro, desenhei personagens parecidos com ele. Obrigado, mestre Gedeone, por sua arte!

7 - Julio Shimamoto, conjunto da obra.
 Não me refiro a uma revista em especial, mas sim ao conjunto das obras desse mestre que marcou tanto as HQBs. Seu traço simples, forte, dinâmico, vivo, sempre me fez admirar e tentar copiá-lo em minha busca como desenhista. Fui seu fã muito tempo e um belo dia o conheci, ocasião em que participou de minha revista Billy The Kid como colaborador e incentivador. Entre os Dez Mais não poderia faltar a obra de Shima, pois tudo o que ele produziu foi marcante!

8 - Vagabond - A história de Musashi - Takehiko Inoue
Esse manga é como um filme! A narrativa é viva, prende o leitor, o desenho é sensacional, a lápis, com detalhes em cada partícula, perfeição num estilo caprichado. E a temática samurai sempre me interessou. Li vários dessa série sensacional!

9 - Ken Parker - Berardi e Milazzo
"Faroeste diferente, mais humano, mais poético", isso todos já disseram! Ken Parker é realmente um marco nos quadrinhos, uma produção ímpar da dupla Berardi & Milazzo. Todas suas  histórias me agradaram, não saberia dizer qual edição foi a melhor. Ah, mas gosto bem mais quando são desenhadas por Milazzo, a ponto de não ter muito interesse em ler quando o desenhista é outro. Sempre fui fã de western e quando descobri Ken Parker fiquei mais admirador ainda do estilo!

10 – Fikom - Fernando Ikoma
Fernando Ikoma criou um super-herói diferente, em histórias fantásticas, um herói às voltas com sonhos e aventuras! E com um desenho simples, mas profissional, esse super-herói brasileiro cativou muitos na época e garantiu seu lugar na historia das HQBs. Guardo com o maior carinho suas edições!

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2020 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web