NewsLetter:
 
Pesquisa:

Os Dez Melhores Gibis de Edgard Guimarães
Por Marcio Baraldi
06/06/2010

Esta semana tem minerim no pedaço! Quem revelou seus dez gibis preferidos foi o quadrinhista e editor Edgard Guimarães. Edgard edita há mais de quinze anos anos o Q.I (Quadrinhos Independentes), o fanzine mais popular e querido do Brasil. Em suas paginas, Edgard reúne centenas de quadrinhistas, fanzineiros e colecionadores num permanente debate sobre a situação do Quadrinho Nacional. É o maior fórum impresso de discussão do assunto no país! Além disso, o QI ainda publica a mais ampla e completa lista de lançamentos independentes do Quadrinho Nacional, sem contar as HQs de vários autores, entre eles, o próprio Edgard, claro. Como se não bastasse, Edgard ainda e autor de vários livros, entre eles "Ju e Jigá", coletânea de tiras dos personagens homônimos, e diversos livros teóricos como "Leituras de Príncipe Valente", "Fanzine" e " O que é HQ Brasileira". Com tanta bagagem era de se espera que Edgard tivesse bom gosto com suas leituras. Mesmo assim superou as expectativas,variando entre clássicos absolutos e obras pouco conhecidas do grande público, porém de criatividade e valor cultural inquestionável. Minerim come quieto mas na hora de escolher os gibis chuta o barde, sô! Eita, trem bão!!!

Os Dez Melhores Gibis de Todos os Tempos

por Edgard Guimarães

1 - Retrato Falado - Lor
Publicado por uma pequena editora na segunda metade da década de 1970, quando a ditadura militar ainda estava bastante repressiva, este livro trata de um golpe no fictício país Rosário, com todos os desdobramentos políticos, pessoais, um retrato duro e emocionante do que ocorreu no Brasil. Com um traço solto, Lor passa o seu recado com toda competência. Houve uma reedição mais recente deste livro feita por André Diniz.

2 - Vizunga - Flavio Colin
Publicado em tiras na década de 1960, só conheci este trabalho quando foi compilado pela revista “Eureka” no final da década de 1970. O traço de Colin está no auge, já com a estilização que o caracteriza, mas com um maior capricho anatômico. A tira tem duas grandes sacadas. A primeira é a escolha do tema: as mentiras de caçadores e pescadores perpetradas por um personagem carismático. A segunda é a mudança de estilo do desenho para um caricatural belíssimo quando enfoca os casos contados por Vizunga. Infelizmente a revista “Eureka” não conseguiu publicar a série toda e mais infelizmente ainda nunca foi publicado um livro com esta série.

3 - Kiai - Julio Shimamoto
Série de HQs avulsas de artes marciais desenhadas por Shimamoto com roteiros de Hayle Gadelha, entre outros. Algumas histórias foram publicadas na revista “Eureka” nos anos 70, e depois, na década de 1980, a editora Grafipar reuniu essas histórias na revista “Kiai”, que durou apenas quatro números.

4 - Fradim - Henfil
Talvez a HQ mais irreverente já publicada no mundo! Demolidora em todos os sentidos, provou o impacto que uma obra de ficção pode ter sobre a sociedade, provocando, exigindo a participação das pessoas, sem perder o humor.

5 - Rango - Edgar Vasques
Dentro do espaço limitado da tira diária, uma série com todas as qualidades das maiores tiras do mundo (Mafalda, Calvin, Peanuts): engraçada, desenho inigualável e algo que as outras não têm, um engajamento político e social!

6 - El Eternauta - Oesterheld & Solano Lopez
O maior clássico das historietas argentinas, publicado em capítulos no final da década de 1950. Contrariando a regra de que as histórias feitas na Argentina tinham que ser ambientadas em outros países, principalmente Estados Unidos, Oesterheld cria uma ficção científica original passada nas ruas e bairros de Buenos Aires. Oesterheld não teve medo de carregar as páginas com textos, já que era necessário para criar o clima da história. Uma obra com apenas um defeito: tem apenas 350 páginas.

7 - Príncipe Valente - Hal Foster
Normalmente elogiada pelos belos desenhos de Foster, esta série possui um dos melhores roteiros já escritos. Foster criou personagens verossímeis em histórias realistas, usando e abusando do humor, da ironia e do lirismo em meio a aventura. Conseguiu colocar uma dose elevada de violência mesmo usando um veículo destinado a todas as faixas etárias.

8 - Ken Parker - Berardi & Milazzo
“A face humana do Oeste”: Nunca um slogan definiu tão bem um trabalho! O oeste americano com o heroísmo e a fraqueza nas medidas certas. Mesmo sendo uma série mensal, os autores conseguiram manter o nível durante dezenas de edições. E o desenho estilizado e realista de Milazzo é um show à parte!

9 - Little Nemo - Winsor McCay
Páginas gigantes com o delírio visual no mais alto nível! Os sonhos do pequeno Nemo atestam a criatividade gráfica e imaginação de McCay. A partir de um certo ponto, os sonhos de Nemo passam a ter continuação e num certo momento, o menino desce ao submundo da sociedade, mostrando o pesadelo real das grandes cidades.

10 - Sandman - Neil Gaiman
Uma das poucas obras produzidas dentro da indústria norte-americana de comics a atingir o status de obra-prima. Um roteiro extremamente detalhista e elaborado construído ao longo de 75 edições mensais. Uma demonstração de conhecimento de mitos e lendas invejável!

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2020 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web