NewsLetter:
 
Pesquisa:

Ratatouille: a aventura saborosa da Disney/Pixar
Por Ruy Jobim Neto
04/06/2007

Brad Bird não pára de aprontar. O talentoso diretor de animação já fez o mundo se encantar pela amizade de um menino e um robô gigantesco em O Gigante de Ferro (em 1999, pela Warner), já fez todo mundo rolar de rir com os super-heróis da maluca família de Os Incríveis (de 2004, pela Disney/Pixar), e agora vem com mais esta – o simpático Ratatouille (pronuncia-se rata-tu-í) está pronto para estrear e os trailers estão rolando soltos pela Internet, um melhor que o outro. Um deles tem nove minutos do filme, como o do site oficial da Disney/Pixar, que você pode curtir aqui
       
O lançamento mundial será em junho, nos EUA e a Disney (junto com sua distribuidora Buena Vista) pretende fazer estardalhaço para cativar o público americano, colocando anúncios inclusive em intervalos do famoso programa American Idol, que está  bombando de ibope por lá. E já tem analista no mercado americano de Cinema, em Hollywood, dizendo que o filme tem poucas chances com o público caseiro, que um ratinho cozinheiro – e francês – não atrairia tantos espectadores como fez Carros (que é a própria cara dos EUA). Afinal, isso também não quer dizer nada e, se formos pesar na balança, não tem importância alguma. Os produtores não devem ter levado isso em consideração quando bolaram a história.

O filme, de 110 minutos de correrias e pura simpatia, tem data para chegar ao Brasil – 06 de julho de 2007 – e conta a história de Remy, um ratinho francês que tem como sonho na vida o mais maluco dentre os sonhos para um roedor: ser um chef de cozinha de um grande bistrô parisiense. A direção do longa é dividida com Bob Peterson, que foi um dos roteiristas de Procurando Nemo e ainda fez a voz do Sr. Raia (no mesmo filme) e de Roz em Monstros S.A. (além de ter sido diretor de unidade nesta produção). No roteiro, estão Emily Cook e Kathy Greenberg. O trailer é mais uma versão condensada de uma cena do filme do que um comercial de verdade. Nele vemos como o cozinheiro fracassado Liguini e o rato Remy se conhecem e eventualmente formam uma parceria das mais improváveis. Como se pode ver pelas imagens, os personagens humanos lembram os personagens de Os Incríveis, também dirigido por Brad Bird. Parece, portanto, que a Pixar terá um ótimo competidor para bater com o ogro verde de Shrek Terceiro pelo espaço nas bilheterias animadas deste ano.
           
Em Ratatouille, o ratinho Remy, que sonha em se tornar um grande chef francês, segue o seu destino mesmo contra os desejos de sua família e do óbvio problema de ser um rato em uma profissão totalmente inapropriada para roedores. Quando o destino o leva aos esgotos de Paris, Remy se vê na situação ideal, bem embaixo do famoso restaurante de seu herói culinário, Auguste Gusteau. Apesar dos aparentes perigos de ser um inadequado – e certamente indesejado – visitante na cozinha de um fino restaurante francês, a paixão de Remy pela arte culinária não demora a ser colocada em prática. O ratinho ajuda a criar a receita de uma sopa única – e conquista críticas elogiosas em capas de revistas e jornais internacionais –, acaba dando início a uma incrível e emocionante corrida de ratos em toda a cidade, o que permite a ele conquistar o impossível e o seu verdadeiro dom. Remy então se sente dividido entre sua vocação e a obrigação de voltar para sempre à sua prévia existência de rato. Ele aprende a verdade sobre amizade, família e entende que sua única opção é a de aceitar quem ele é realmente: um rato que deseja ser chef de cozinha. Um detalhe: o nome do filme, Ratatouille, vem de uma especialidade da cozinha provençal francesa em que se notam influências espanholas e italianas. O nome significa “comida”, mas podemos traduzir também como “ragôut de legumes” ou “prato de beringelas”. Para preparar o ratatouille não podem faltar nem as beringelas nem os tomates. Com os restantes ingredientes pode-se lidar mais à vontade. Não são obrigatórios as pimentas e as courgettes (um tipo de condimento). Como condimentos adicionais deve-se usar o alho, manjerona, tomilho ou outros.

Janeane Garofalo e Ian Holm

          
Portanto, depois de tantas reviravoltas na história, parece mesmo que o casamento da Disney e Pixar finalmente foi selado, pondo um fim a especulações sobre o vôo solo da Pixar ou possíveis acordos com outras distribuidoras. Carros, já próximo do lançamento seria o último filme do acordo vigente entre Disney e Pixar. Havia ainda uma alternativa de expandir o acordo até o próximo filme a ser lançado em 2007. Com a compra da Pixar pela Disney, os novos filmes produzidos ainda pelos estúdios de Emeryville levarão o selo “Disney/Pixar”. O elenco que dubla os personagens na trilha original da animação é composto por Patton Oswalt (da série The King of Queens) dubla o protagonista, o rato Remy. Brad Garrett dá voz ao chef Auguste Gusteau. O pai de Remy, Jango, é dublado por Brian Dennehy (Assalto à 13ª. D.P.). Outras vozes conhecidas são de Janeane Garofalo (da série The West Wing), Ian Holm (O Senhor dos Anéis), além de Lou Romano e Peter Sohn, que participaram de Os Incríveis.
           
Na verdade, a aposta de Brad Bird, seus animadores e o pessoal da Pixar em Ratatouille está cercada pelos números do box office, pois 2006 não foi um bom ano para animações: Por Água Abaixo foi um fracasso de bilheteria nos EUA e Carros, a animação que mais arrecadou nesse mesmo ano (US$ 244 milhões), mesmo sendo exibido nos cinemas praticamente sem concorrentes, não conseguiu alcançar os lucros arrecadados por seus antecessores (Procurando Nemo e Os Incríveis). Primeiramente, Ratatouille não é muito apelativo ao mercado americano, um rato francês que cozinha normalmente não atrai muitos espectadores nos EUA. Segundo, o filme irá concorrer com filmes de peso como Transformers (que estréia 04 de julho) e Harry Potter 4 (13 de Julho). O site Planeta Disney publicou antes do lançamento do filme que o personagem Remmy sofreu algumas mudanças desde o lançamento do primeiro teaser do trailer, na época do lançamento de Carros nos cinemas. O protagonista numa nova imagem divulgada pelo estúdio, teve seu rabinho aumentado, seu pêlo tosado, deram uma modificada em seu nariz e nos dentes e o mais evidente foi que na imagem do teaser o personagem continha numa pata quatro dedos e na outra ele tinha apenas três, já na nova imagem, o personagem aparece com três dedos em cada pata, mostrando que o pobre ratinho teve um de seus dedos amputado pelos animadores. Seguem no link as imagens comparando as cenas, sendo que a imagem que contém o logo do filme é a mais recente.

A trilha musical de Ratatouille será de Michael Giacchino, que fez um belo trabalho com a trilha de Os Incríveis. A direção do filme estava anteriormente nas mãos de Jan Pinkava, conhecido pelo curta vencedor do Oscar, Geri’s Game do velhinho jogando xadrez. Mas diversos problemas na condução do filme fizeram os executivos da Pixar trocarem Pinkava por Brad Bird e Bob Peterson. Numa recente entrevista para a revista inglesa Computer Arts, Jan Pinkava foi político sobre sua substituição dizendo que “eu penso que Brad Bird fará um grande trabalho, mas além disso, e eu sempre quis dizer isso”, sem maiores comentários. Três capas de livros foram divulgadas, um dos livros é sonoro (direcionado ao público infantil), o outro é um dos livros da célebre série The Art of (que chegou às lojas no dia 03 de maio de 2007 e tem 160 páginas) e o terceiro livro, também voltado para o público infantil, é um divertido livro de pintar para que as crianças possam colorir os personagens, intitulado de Learn to Draw Disney Pixar's Ratatouille ele chegou às lojas no dia 01 de maio de 2007 e tem 32 páginas.  
           
Finalmente, para os fãs incondicionais da boa culinária, como o ratinho Remy, aí vai a receita do "Ratatouille", enquanto o filme não chega em nossas salas de exibição.

Ratatouille
Ingredientes:
1 Berinjela grande 
1 Pimentão vermelho e/ou amarelo
2 Cebolas médias
2 dentes de alho esmagado
2 Abobrinhas
2 a 3 Tomates
Tomilho
Sal e pimenta

Modo de Preparo:
Corte os legumes grosseiramente e refogue-os em fogo alto, até que dourem, tempere moderadamente. Em seguida reúna todos numa panela e deixe cozinhar em fogo brando, com o tomilho até que estejam macios e acerte o tempero caso necessite.

Dicas:
Você pode refogar cada legume separadamente ou todos juntos, mas atenção para começar pelo mais firme (siga a ordem dos ingredientes dada) e junte o tomilho desde o começo. Caso precise, junte um pouco de água (ou um caldo) ao cozinhar. O último cozimento pode ser feito na panela, 10 minutos, ou no forno a 180° C, pelo menos 40 minutos conforme a textura desejada: legumes crocantes, macios ou em compota. Ajuste o tempo de cozimento e o tamanho de corte dos legumes conforme seu gosto: legumes em pedaços pequenos cozinham mais rapidamente.

 Do mesmo colunista:
Showcases de Animação e outras coisas...

Woody Allen em filmes e tiras, pra todos os gostos

A imagem que se monta e a que não é vista

Humor e traços aqui e lá fora

E por falar em Quadrinhos e Ensino...

Quadrinhos e próteses

Quadrinhos e História: Tudo a ver

Rapunzel: um novo Disney pelas mãos de Glen Keane

Personagens Históricos: eles também são nossos

Quadro a Quadro: todas as Colunas

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2014 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web