NewsLetter:
 
Pesquisa:

Resenha: O Tico-Tico – Centenário da primeira revista de Quadrinhos do Brasil
Por Eloyr Pacheco
09/06/2006

A revista O Tico-Tico completou cem anos em 2005; a primeira edição foi lançada em 11 de outubro de 1905 e, em meio a muitos eventos para comemorar o centenário, um lançamento em especial marcou a data e destacou-se entre os demais: O Tico-Tico – Centenário da primeira revista de Quadrinhos do Brasil, editado pela Opera Graphica Editora.

Primeiro é necessário salientar a qualidade dos profissionais envolvidos no projeto, que teve como organizadores Waldomiro Vergueiro e Roberto Elísio dos Santos. São eles: Álvaro de Moya, Antônio Luiz Cagnin, Diamantino da Silva, Fábio Santoro, Fernando Moretti, Franco de Rosa, José Sobral, Maria Cristina Merlo, Marco Aurélio Lucchetti, Nobu Chinen, Sonia Bibe Luyten e Worney Almeida de Souza. O trabalho hercúleo desta equipe resultou numa obra obrigatória para todo estudioso de Histórias em Quadrinhos e de Comunicação.

Segundo, o projeto editorial e gráfico é estupendo: a edição de 26,5 x 36,5 cm tem capa dura e logo metalizado e inclui um fac símile em cores da edição de O Tico-Tico número 1, que vem em uma bolsa plástica especialmente produzida e colada na terceira capa do livro. (Num texto de agradecimento assinado por Franco da Rosa, há a informação de que o Professor Cagnin, como é tratado respeitosamente pelos seus admiradores, havia dez anos que procurava uma forma de imprimir o fac símile de O Tico-Tico). Não obstante essas qualidades, os editores preocuparam-se em organizar a edição de 256 páginas em preto e branco de maneira simples e objetiva para valorizar ainda mais a ampla pesquisa iconográfica reunida pelos colaboradores. No miolo, o leitor encontra reproduções de páginas inteiras, ilustrações, tiras e fotos e nas guardas, capas de O Tico-Tico em cores.

Os 27 capítulos de O Tico-Tico – Centenário da primeira revista de Quadrinhos do Brasil, que se iniciam depois do Prefácio – O Tico-Tico sem fubá, de Sérgio Augusto; da Linha do tempo de O Tico-Tico, pesquisada por Worney A. de Souza, e da Introdução, assinada pelos organizadores, estão assim divididos: Parte 1 – Depoimentos e Entrevistas (onde é feito um amplo debate sobre Buster Brown e Chiquinho e apresentados os grandes artistas de O Tico-Tico); Parte 2 – O Tico-Tico e suas várias dimensões (com destaque para as análises das dimensões educativa, moral, cultural jornalística e literária de O Tico-Tico), e Parte 3 – Depoimento Histórico (com uma entrevista com Afonso Bottari [1899-2005] – o primeiro leitor de O Tico-Tico).

Sem dúvida o livro O Tico-Tico – Centenário da primeira revista de Quadrinhos do Brasil, da Opera Graphica Editora, é a maior (e mais importante) homenagem que a publicação poderia receber em seus cem anos de criação. Ouso ainda colocá-lo como o melhor livro da editora não no ano de 2005, quando foi publicado, mas desde a sua fundação. O Tico-Tico – Centenário da primeira revista de Quadrinhos do Brasil é uma obra que dá gosto de ter na estante junto com a coleção de Quadrinhos e digna da grandiosidade da “primeira revista de Quadrinhos do Brasil”.

Para saber como foi o lançamento deste livro clique aqui.

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2017 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web