NewsLetter:
 
Pesquisa:

Artista S/A
Por Leonardo Santana
23/08/2006

A Coca-Cola, todos os dias, fabrica milhares de cópias de seu mais famoso produto e consegue vendê-lo para o mesmo consumidor dezenas ou centenas – quiçá milhares – de vezes no decorrer da existência desse indivíduo.

Já pensou se com o artista também fosse assim? Ele faz uma HQ, uma HQ estupenda, e consegue fazer o leitor comprá-la várias vezes no decorrer de sua vida. Não é preciso se nenhum gênio para perceber que a coisa toda perderia a graça muito rápido. E não é só isso. O artista não evoluiria. Ficaria estagnado na confortável situação de não se arriscar e privaria o leitor de novas emoções. Então, analisando este panorama, torna-se mais que claro que o verdadeiro produto do artista não é seu desenho, seu roteiro ou, até mesmo, sua HQ. O verdadeiro produto de um artista é ele mesmo. Seu talento. Ou seja, o produto é você! E, assim com uma empresa desenvolve uma estratégia de marketing para divulgar um produto, também você precisa aprender a construir o seu nome dentro de mercado em que deseja se inserir: quadrinhos, charges, ilustrações, etc.

E qual a melhor forma de fazer isso? Se você é um desenhista ou um roteirista de Quadrinhos, o principal é estar sempre publicando. Mais do que estar fazendo pin-ups, você tem que estar produzindo e publicando HQs. Continuar menosprezando a importância das revistas independentes (fanzines com um acabamento semiprofissional ou até mesmo mais profissional que muitas revistas de editoras) é uma estupidez que tem que acabar. Por isso, a constância da exposição de seu nome, ligado aos Quadrinhos que você publica, é um importante meio de divulgação e solidificação de seu nome/marca. Mas não adianta publicar uma HQ hoje e outra daqui a doze meses. Mas, se você consegue publicar três ou quatro HQs no período de um ano, então você já está no caminho certo. E, se é custoso produzir histórias mais longas, invista inicialmente em HQs curtas (Lembram-se da Coluna Vertebral Dicas para roteiristas iniciantes?) e produzam essas histórias mais longas em paralelo com as menores. Assim, você vai garantir que suas HQs (e seu nome) estejam sempre em evidência.

Uma sugestão, caso você consiga, é focalizar seus trabalhos em uma publicação por vez, durante um certo período. Assim, ao menos naquela publicação, você irá consolidar o seu nome/marca. Publicar em várias revistas pode ser bom, mas não cria uma constância na forma de um público do seu trabalho, a não ser que sua produção seja grande o bastante para manter a continuidade em mais de uma revista num mesmo período. Um segundo ponto importante a se observar seria o de tentar participar de concursos que premiem roteiristas, desenhistas e histórias. Não importa o tamanho dessas premiações (se nacionais ou regionais), ganhar prêmios é um importantíssimo fator de fortalecimento de seu nome/marca. Nesse caminho, a criação de um site, blog ou, até mesmo, de um fotolog é uma importante vitrine para divulgação de seus trabalhos e de suas conquistas. Participar de listas de discussão também ajuda – e muito – aos outros “descobrirem” o seu trabalho e manter o seu nome na lembrança destes.

Para finalizar, é óbvio que não adianta nada disso se não houver uma certa qualidade em seu trabalho. Nem estou aqui dizendo que você crie pequenas obras de arte para que possa ser notado em meio a tanta gente talentosa, mas que seu trabalho traga algo de interessante e bem feito para o leitor em todas as suas HQs. O artista interessado, de fato, em entrar e permanecer no mundo dos Quadrinhos Nacionais deve não só se preocupar em produzir boas HQs, mas também em publicá-las com uma certa constância, saber divulgar-se e manter seu nome em evidência. Agregar valor ao seu nome. Somente assim, e não se engane, pois isso tudo leva tempo e muito trabalho, você vai conseguir transformar seu nome em algo desejável para associar a uma publicação. E quando seu nome chega a este estágio, ele consegue imputar ao seu trabalho sinônimo de qualidade e satisfação.

E este deve ser o seu maior desafio. Mostrar, afinal de contas, que não importa a HQ que você vai produzir, pois o seu nome já vai garantir, no mínimo, uma expectativa de satisfação ao leitor antes mesmo dele ler a sua HQ. Quando conseguir fazer isso, você vai ser a coca-cola e vai conseguir vender-se (Seu nome, seu talento, seu trabalho) para o mesmo consumidor dezenas ou centenas – quiçá milhares (pode parecer exagero, mas talvez não se a sua mídia for tiras) – de vezes no decorrer da existência desse indivíduo.

E, acreditem, isto é apenas o começo...

(Ilustração: Gerson Witte)

 Do mesmo Colunista:

Chamando a responsabilidade para si

Leitor x Autor: o que realmente importa?

A lei dos 20% e os quadrinhistas nacionais

Dicas para roteiristas iniciantes

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2017 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web